Logo branco.png

BLOG

  • annakarina0

Conheça 7 fatores para a escolha do seu processo de averbação eletrônica da carga


Como foi tratado no artigo anterior, quando transportadoras e embarcadores, ao adquirem os serviços de averbação eletrônica para o despacho de suas cargas, têm como objetivo cumprir com os seus impostos de forma mais eficiente e segura, além de cumprir com a obrigatoriedade do seguro da carga, prevenindo-se em caso de roubos ou acidentes.


Além disso, alguns cuidados devem ser considerados na hora da escolha de um fornecedor que ofereça a tecnologia para a averbação eletrônica do seguro de transporte de cargas. Para que todos os processos sejam feitos de forma correta, segura e sem interrupções, é preciso considerar a seguinte estrutura:


1. Suporte 24 horas;

2. Plano de Contingência;

3. Velocidade da averbação;

4. Facilidade de integração da averbação com o sistema emissor;

5. Número de averbação confiável;

6. Alta disponibilidade de infraestrutura tecnológica/servidores;

7. Gestão do transporte.



Esse processo de averbação eletrônica da carga consiste em informar à seguradora, a ocorrência e os detalhes de um transporte que será assegurado, conforme resolução 247 (SUSEP) que obriga a contratação do seguro de responsabilidade civil (RCTR-C) e a averbação de cada embarque antes do início da viagem; Normativa ANTT que torna obrigatório informar o número de averbação dos CT-es ou NF-es para a emissão do Manifesto Eletrônico de cargas 3.0.


Ou seja, não é possível emitir o MDF-e sem a averbação dos documentos que estão relacionados nele; Resolução CNSP 361 publicada em junho de 2018, que passou a ser obrigatório o envio do MDF-e para a companhia de seguro, antes do início da viagem.

Todas essas regulamentações citadas acima são obrigatórias. O caminhão não deve iniciar a viagem, antes de averbar devidamente os documentos. As averbações que não são realizadas de forma correta, com qualidade e segurança, o resultado será prejuízo operacional com a logística, ou seja, caminhões podem ser proibidos de trafegar pelos órgãos fiscalizadores, prazos juntos aos clientes deixarão de ser cumpridos e caso ocorram acidentes ou roubos das mercadorias, a carga de um determinado transporte que não foi averbada não estará devidamente assegurada.


Artigo desenvolvido por Flademir Lausino, sócio fundador da AT&M Tecnologia, líder no processo de averbação eletrônica do seguro de transporte de cargas no Brasil, atendendo a 31 mil empresas, entre transportadoras, embarcadores, corretoras e seguradoras.



SOBRE A AT&M – Com sede em Indaiatuba (SP) e escritório comercial na capital Paulista, a AT&M tem mais de duas décadas de atuação no mercado de tecnologia. Pioneira na criação da averbação eletrônica para o transporte de cargas, hoje é responsável pelo tráfego de mais 80 milhões de documentos, entre seguradoras, corretoras, transportadoras e embarcadores totalizando mais de 31 mil clientes em todo o País.


Com a experiência adquirida e confiança de seus parceiros e clientes, hoje atende mais de 800 corretores, 95% das seguradoras, mais de 400 Sistemas de emissão (TMS) integrados com mais de 30 mil pontos de sistemas instalados para embarcadores e transportadoras, sendo todos do segmento de logística e seguro do transporte de cargas.


Disponibiliza ao mercado, mais de 10 soluções tecnológicas para transportadores e embarcadores — de ponta a ponta, desde processos 100% automatizados até manuais. Possui equipe altamente qualificada e dedicada, com suporte técnico 24 horas, todos os dias da semana. Além disso, conta com uma equipe de outsourcing trabalhando in company em alguns de seus clientes.

3 visualizações0 comentário